sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

ARLEQUIM QUE FUTURO

O Canário Arlequim Português foi finalmente homologado pela C.O.M. a 18 de Janeiro de 2010, para gáudio dos portugueses de uma forma geral e em particular dos criadores desta belíssima raça de canários. No entanto apenas foi ganha uma batalha e a “guerra” está aí para ser ganha também. Quero com isto dizer que os criadores destas aves têm uma responsabilidade acrescida, na medida em que é necessário mostrar a ave ao mundo, fazendo-a evoluir, já que o trabalho não acabou aqui. É absolutamente importante que os criadores de Arlequim mostrem todo o empenho que tiveram até aqui, continuando um trabalho que é ainda árduo. Há ainda muito a fazer pela raça, portanto a selecção, os cruzamentos planeados, a procura das características do Standard e principalmente aquilo que a distingue das outras raças, devem ser a meta do percurso que aí vem, em busca da perfeição e da nossa satisfação pessoal.
No entanto muitas outras coisas poderão acontecer. O número de criadores irá aumentar, e a estes é necessário prestar a ajuda mais correcta. O objectivo deverá ser dirigido para que estes novos criadores sejam conduzidos pelo caminho mais correcto. O sucesso deles será também o nosso. Claro que tudo isto pode ser profanado, basta que uma nova euforia comercial, tal como aconteceu após a primeira aprovação nacional, em 1999, tenha novamente início. Quanto a isso não tenho dúvidas e sei que alguns criadores começarão a criar este canário apenas com o objectivo de ganhar umas “moedazitas”, bem como outros que já criam sejam tentados a enveredar pelo mesmo caminho. Tanto uns como os outros depressa se afastarão, assim como já aconteceu no passado, porque por um lado não gostam realmente da ave e desistem, por outro depressa se aperceberão que para conseguir uma ave de qualidade, no mesmo ninho ou nos do lado, aparecerão várias com qualidade inferior que não rentabilizarão o objectivo que os movia. De qualquer forma, quando isto acontecer já um grande mal estará feito. Muitas aves sem qualidade ou mesmo aves que não são Arlequins estarão difundidas pelas casas dos mais distraídos ou dos criadores menos experientes que na sua boa fé acabarão por comprar “gato por lebre”.
É competência nossa, criadores de Arlequins, prestar o melhor aconselhamento aos que irão começar, evitando que a raça não seja violada e procurando que, ano após ano, a qualidade das exposições seja cada vez melhor.
É pois necessário elevar o Arlequim Português ao esplendor nesta nova travessia que agora iniciou.

5 comentários:

  1. Caro Fernando

    Enviei-lhe um mail pessoal, mas como inadvertidamente apaguei o mail onde tinha o seu telefone, não tenho meio de o contactar que não seja através do blog, uma vez que estamos em cima da hora. Peço-lhe por isso que consulte o seu mail pessoal.

    Abraço e peço-lhe as minhas desculpas

    Carlos Ramos

    ResponderEliminar
  2. Bem, é uma pergunta muito oportuna e que provavelmente muita gente gostaria de ver respondida, eu estou curioso que muita gente se prenuncie sobre o assunto!
    Cumprimentos e boas criações

    ResponderEliminar
  3. Um abraço Fernando.

    Quando um cojunto de expressões erradas continuam a ser usadas e suportadas por artigos que estão no site do clube...

    É necessário refundar o Arlequim Português, um Canário de Porte, com presença de Fator Vermelho ( Mosaico em Breve Novamente, segundo o CCAP ) e Cor Variegada, com 16 cm, ... etc, etc...

    E aqui começa a dor, e a dor muito, porque muitoas não querem, na minha opinião evoluir, quiça, por receio do monopólio alcançado? prejuidicando e muito a raça.

    Posso estar errada, assim possa ser a bem de todos.

    Eu, vou lutar pela raça, apontando caminhos e soluções.

    A todos, caberá uma reflexão séria, honesta e rigorosa, assim tb o desejo.

    Boas criações.

    Gonçalo Ferreira
    www.mundo-dos-canarios.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. viva a todos!

    estou completamente de acordo com o que aqui foi referido, com excepção apenas de um ponto que para mim se torna fundamental.

    Quando o Fernando refere "É competência nossa, criadores de Arlequins.......", penso estar a partir de um pressuposto errado!

    Cabe sim ao CCAP, primordialmente, fazer chegar a informação não só as já criadores, mas sim a todas as superficies comerciais nacionais acerca do que é o Arlequim Português, para que deste modo o canario não venha a ser "manipulado" só com o intuito comercial.

    e penso qe não é com a criação de um "pedigree" como já se fala que isso se vai evitar!
    Mas isso já é outra discussão!

    Um abraço

    Eduardo

    ResponderEliminar
  5. Oi, passei pra conhecer seu blog, e desejar boa tarde!!

    bjs

    aguardo sua visita :)

    ResponderEliminar